Simples Técnica para Desenvolver a Positividade e Aumentar a Sorte

Compartilhe:
Você gostou?

Saiba como desenvolver a positividade utilizando uma técnica simples e poderosa.

Hoje em dia os estudos da neurociência e da psicologia positiva comprovam os efeitos benéficos da positividade.

Quando o nosso cérebro está constantemente procurando e se concentrando no positivo nós nos beneficiamos das três ferramentas importantes: felicidade, gratidão e otimismo.

Poucas pessoas comprovaram esse fenômeno de maneira mais astuta que o pesquisador Richard Wiseman, que se empenhou em descobrir por que alguns de nós parecem ter tanta sorte enquanto tudo parece dar errado com os outros.
Como você pode ter imaginado, acontece que não existe essa coisa de sorte – pelo menos no sentido científico. A única diferença (e, a propósito, uma enorme diferença) é se as pessoas acreditam ou não que têm sorte – em outras palavras, se esperam que coisas boas ou ruins lhes acontecerão.

Wiseman pediu que voluntários lessem um jornal e contassem o número de fotos publicadas. As pessoas que acreditavam ter sorte levaram apenas alguns segundos para realizar a tarefa, enquanto as que se consideravam azaradas levaram em média dois minutos. O que explica tamanha diferença? Bem, na segunda página do jornal, uma mensagem enorme dizia: “Pare de contar, há 43 fotos neste jornal”. A resposta, em resumo, era clara como o dia, mas os azarados apresentaram muito mais chances de deixar de ver a mensagem, enquanto os sortudos estavam propensos a vê-la. Como bônus adicional, no meio do jornal havia outra mensagem dizendo: “Pare de contar, diga ao pesquisador que você viu esta mensagem e ganhe 250 dólares”.

As pessoas que afirmaram não ter sorte na vida mais uma vez deixaram passar essa oportunidade. O mais extraordinário no estudo de Wiseman é que a mesma possibilidade de ganhar a recompensa estava latente no ambiente de todos os participantes – era só uma questão de eles perceberem ou não.

A diferença entre as pessoas que capitalizaram o acaso e aquelas que deixaram passar as oportunidades (ou simplesmente não a identificaram) é uma questão de foco. Quando alguém está preso em pensamentos negativos, seu cérebro é literalmente incapaz de enxergar as oportunidades. Mas, munido de positividade, o cérebro se mantém aberto às possibilidades.

Os psicólogos chamam esse fenômeno de “codificação preditiva”: predispor-se a esperar um resultado favorável efetivamente codifica o seu cérebro para reconhecer o resultado quando ele surgir.

Aplicação Prática

Vamos ao exercício simples para MOLDAR sua mente a pensar positivamente.

Simplesmente fazendo uma lista diária dos aspectos positivos do seu trabalho, de sua carreira e de sua vida. Pode parecer uma grande bobagem, ou algo ridiculamente simples – e de fato a atividade em si é simples –, no entanto, mais de uma década de estudos empíricos comprovou o profundo efeito que isso provoca na configuração do nosso cérebro.

Ao elaborar uma lista das “três coisas boas” que aconteceram durante o dia, o seu cérebro será forçado a rever as últimas 24 horas em busca de elementos positivos potenciais – coisas que levaram a pequenas ou grandes risadas, sentimentos de realização no trabalho, o estreitamento de laços com a família, um vislumbre de esperança no futuro.

Em apenas dois, três minutos por dia, esse exercício treina o cérebro a perceber e se focar melhor nas possibilidades de crescimento pessoal e profissional e a aproveitar oportunidades de concretizar essas possibilidades.

Ao mesmo tempo, como temos um número limitado de coisas nas quais conseguimos nos concentrar simultaneamente, o nosso cérebro empurra para o plano de fundo pequenos aborrecimentos e frustrações que antes se destacavam no primeiro plano, e até chega a excluir totalmente esses elementos negativos do nosso campo de visão.
E o exercício também leva a resultados duradouros. Um estudo revelou que os participantes que anotaram três coisas boas por dia durante uma semana relataram se sentir mais felizes e menos deprimidos nas entrevistas de acompanhamento de um, três e seis meses. E ainda mais impressionante: mesmo depois de interromperem o exercício, eles permaneceram significativamente mais felizes e continuaram apresentando níveis mais elevados de otimismo. Quanto mais eficientes eles se tornavam em identificar coisas boas no mundo para anotar na lista, mais coisas boas eles viam, sem precisar se esforçar, onde quer que olhassem. Os itens que você escolhe anotar a cada dia não precisam ser profundos nem complicados, só específicos. Você pode mencionar a deliciosa comida tailandesa que comeu no jantar, o abraço de urso que ganhou da sua filha quando chegou em casa depois de um longo dia de trabalho ou o tão merecido elogio que recebeu do chefe no trabalho. =D

Gilson Carbonera
Positivas Vibrações